A quantidade e a qualidade da alimentação durante o crescimento e a maturação do corpo são de grande importância para desenvolver as capacidades e o bem-estar de crianças e adolescentes. Em consequência, uma alimentação adequada beneficia a capacidade intelectual, favorece a atenção e aumenta a precisão gestual.
O trabalho intelectual exige níveis permanentemente adequados de glicose sanguínea (“açúcar no sangue”) para satisfazer os elevados consumos energéticos do cérebro. Desta forma, é imprescindível o fornecimento regular de hidratos de carbono, que ocorrem em alimentos naturais, por meio de, pelo menos, 5 ou 6 refeições distribuídas ao longo do dia. Exemplos de alimentos ricos em hidratos de carbono são a fruta, o arroz, os cereais integrais, as leguminosas (feijão, grão, ervilhas, lentilhas, milho), o pão, as batatas, a batata-doce e restantes tubérculos ricos de amido.
Outros nutrientes necessários para um trabalho intelectual rentável são a vitamina C, vitaminas do complexo B e certos minerais, pelo que devem ser ingeridas quantidades generosas de frutas, principalmente citrinos e outros frutos de polpa corada, e vegetais intensamente coloridos. O fósforo, ácidos gordos e aminoácidos, igualmente importantes para o correcto funcionamento do cérebro, adquirem-se com o consumo diário de lacticínios (leite, iogurtes e/ou queijos), ovos, carnes brancas, peixe, moluscos (polvo, lulas, chocos, potas) e frutos oleaginosos naturais (nozes, amêndoas, avelãs, cajús).
Para o sucesso escolar comece por cuidar da alimentação do seu filho!

Phive Clinic