Realizar uma alimentação saudável é fundamental para prevenir o desenvolvimento de doenças crónicas não transmissíveis (por exemplo: doenças cardiovasculares, obesidade e diabetes tipo 2).
No entanto, fazer escolhas alimentares acertadas nem sempre é fácil, por isso é que se torna fundamental informar o consumidor para que este tenha autonomia e conhecimento para fazer escolhas alimentares mais conscientes e adequadas. No momento de compra de um determinado produto alimentar mais importante que analisar a informação nutricional do produto é analisar a lista de ingredientes e alergénios. Esta lista é elaborada por ordem decrescente de todos os ingredientes que constituem o produto alimentar. Assim, o primeiro ingrediente é aquele que faz parte do produto em maior quantidade e o último, em menor quantidade. Por este motivo, devemos evitar todos os produtos alimentares que iniciam a listagem com ingredientes como o açúcar, as gorduras e o sal. Um outro aspeto que devemos considerar é o número de ingredientes que constitui o produto alimentar, regra geral um alimento que tenha uma longa lista de ingredientes é quase de certeza um produto muito processado. Assim, quanto mais curta a lista de ingredientes, melhor. Devemos também optar por produtos alimentares que contenham ingredientes com nomes conhecidos e que usamos habitualmente na cozinha e evitar os que contém ingredientes com nomes, letras e números estranhos, uma vez que muitos desses são aditivos alimentares, ou seja, substâncias, com ou sem valor nutritivo, adicionados ao alimento para melhorar determinadas características, como a cor, sabor ou durabilidade.
Na lista de ingredientes é também possível identificar os ingredientes suscetíveis de provocar alergias e/ou intolerâncias alimentares através de uma grafia que os distinga dos restantes, por
exemplo, a negrito. No momento da compra de produtos alimentares devemos também ter em atenção os seguintes aspetos:

  1. Verificar a data de validade dos produtos alimentares, optando pela durabilidade mais prolongada;
  2. Avaliar o estado das embalagens, rejeitando as que se encontram amolgadas, rasgadas ou com sinais de ferrugem Nos produtos congelados, verificar se a sua embalagem não se encontra com cristais de gelo, pois pode significar que o produto pode ter sofrido descongelação; Ler atentamente o rótulo e verificar a composição nutricional e a presença de alergénios;
  3. Averiguar e respeitar as condições de conservação.

 

Referencia bibliográfica
Real H, Tristão I, Barbosa M. Rotulagem Alimentar: Um guia para uma escolha consciente
[Internet]. Porto: Associação Portuguesa dos Nutricionistas; 2017 [cited 2018 Oct 22]. 82 p.
Available from: www.apn.org.pt