Treinar ou não durante a gravidez é uma questão de saúde física, mental e também social. Nos últimos anos tem-se assistido a um aumento de mulheres grávidas como praticantes em ginásios e Health Clubs. A sua maioria já tem o exercício físico enquadrado na sua rotina, enquanto as restantes dão início à prática do exercício nesta fase da vida com consentimento médico.

Contudo, a prática de exercício físico durante a gravidez tem de ser sempre de conhecimento médico (mesmo no caso das mulheres já praticantes), pois só ele sabe avaliar a situação – cada gravidez é singular. A partir do momento em que a gravidez é considerada de risco a mulher deve respeitar as orientações médicas, e não deve colocar em risco a vida do bebé e a sua própria saúde. É importante estar bem claro para toda a mulher que a gravidez é uma fase especial da sua vida, e que até pode ser única! A gravidez é uma vitória de um novo organismo que combateu com um corpo estranho e venceu um lugar “cativo” por 40 semanas (aproximadamente) num corpo superior. O corpo da mulher vai sofrer uma série de alterações para se adaptar a esta nova fase, e essas mudanças envolvem todos os sistemas: circulatório, respiratório, digestivo, osteoarticular, hormonal, neurológico, etc. Obviamente que treinar ou não treinar durante a gravidez, mesmo com autorização médica, é uma decisão da mulher – a mulher deve saber “ouvir o seu corpo”!

Treinar durante a gestação envolve também uma série de adaptações. O treino prescrito a uma mulher que vai iniciar a rotina do exercício físico é muito diferente do treino prescrito a uma mulher que treina de forma regular. Assim como o treino que é prescrito para o primeiro trimestre é diferente do que é prescrito para o terceiro trimestre. O ideal é cada gestante fazer aquilo a que o corpo já está habituado a fazer, excluir o contraindicado, e saber que não é a altura mais indicada para começar coisas novas, pois novos estímulos que envolvem alguma intensidade também exigem adaptação do nosso corpo. Para aquelas que iniciam o exercício físico nesta fase há modalidades de grupo mais aconselhadas ou, então, optar pela forma mais segura e eficaz de treinar – o treino acompanhado com um coach!

No entanto, e independentemente da situação, iniciada ou praticante regular, os benefícios de treinar durante gravidez estão comprovados e aprovados pelos profissionais de saúde e exercício físico. As linhas orientadoras para a prescrição do exercício podem ser encontradas em artigos do American College of Obstetricians and Gynecologists (ACOG) assim como no American College of Sports Medicine (ACSM).

Os principais benefícios são:

  1. Aumento de energia – há um fortalecimento do sistema cardiovascular e muscular;
  2. Ajuda a melhorar o sono – com o avançar da gravidez o desconforto vence o sono, mas o treino pode vencer o desconforto;
  3. Diminui o risco da ocorrência de riscos associados à gravidez como a diabetes gestacional, pré-eclâmpsia – o exercício físico reduz os níveis de glicémia no sangue assim como reduz a tensão arterial;
  4. Reduz o desconforto geral que a gravidez provoca como as dores, menor agilidade – o treino fortalece todos os músculos e ajuda a manter a agilidade nos movimentos;
  5. Prepara e fortalece o corpo para o momento do trabalho de parto – quanto mais em forma a mulher está, mais forte será no momento do parto;
  6. Ajuda a aliviar o stress e a aumentar a boa disposição – bem-estar geral é garantido;
  7. Ajuda a manter a imagem – um corpo em forma é uma fonte de autoestima;
  8. Acelera a recuperação da boa forma depois do parto;

Nunca é demais salientar que devem ser do conhecimento da mulher os sinais (do corpo) que indicam quando esta deve parar de treinar. Eles nunca podem ser ignorados!

Como coach, e como mãe em plena (segunda) gravidez, tenho o privilégio de manter a minha rotina de treinos com as devidas adaptações consoante a “barriga o vai ditando”. Para além disso, acompanho também as minhas alunas gestantes nos seus treinos e faço a prescrição a todas as grávidas interessadas.

Bons treinos mamãs!

 

Maria Inês Morte

Instrutora Phive Coach | Coordenadora Avaliações Físicas